Dando continuidade a reunião realizada no último dia 15 de janeiro, na sede da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis  (ANP), a secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico,  da Ciência e Tecnologia  (Sedetec), intermediou um novo  diálogo entre a Sergas, as Centrais Elétricas de Sergipe (Celse) e a Proquigel, empresa arrendatária das Fafens. Entre os assuntos abordados estavam as alternativas para o suprimento de gás natural e a elaboração de um Memorando de Entendimento entre a Proquigel e a Sergas para analisar a possibilidade da construção de gasodutos de distribuição.

Durante o diálogo foram discutidos três estudos que estão sendo realizados para implantação de gasodutos em Sergipe: o primeiro pretende construir um gasoduto que liga o Terminal de GNL da Celse, à rede da TAG (gasoduto Catu-Pilar), com vazão de 10 milhões de metros cúbicos por dia; o segundo que interliga o Terminal de GNL à Fafen/Se, com vazão de 1,8 milhões de metros cúbicos por dia; e o terceiro conectando o terminal de GNL à malha de gasoduto da Sergas, com vazão de 200 mil de metros cúbicos por dia.

Segundo o secretário do Desenvolvimento Econômico,  José Augusto Carvalho, esses estudos serão fundamentais para a retomada de operação da Fafen. “A possível construção de um desses gasodutos não exclui a construção dos outros. Quanto quanto mais incrementarmos a rede, melhor será para o Estado”. Para o presidente da Sergas, Valmor Barbosa, a reunião foi importante, pois discutiu a competência de cada agente na questão Fafen. “Ficou acordado que ocorrerão novas reuniões para estreitar a relação entre todos e dirimir dúvidas sobre as questões do fornecimento de Gás para a operação da Fafen”.

Foi tratado ainda na reunião o enquadramento do Projeto Fafen como consumidor livre de gás natural e a tarifa de movimentação a ser aplicada, além da possibilidade de concessão de incentivos fiscais por parte do Estado. Os técnicos trataram, ainda, da necessidade de aprofundar estudos dos aspectos regulatórios, fiscais, tributários e aduaneiros para o compartilhamento do terminal de GNL, transporte e movimentação do gás natural.

Ficou acordado que serão estudados os custos para a prestação do serviço de estocagem do GNL e a sua regaseificação.  A Proquigel deverá formalizar todas as suas necessidades para que a Celse, em curto prazo, possa se posicionar quanto à melhor forma de atendimento. “A reunião foi positiva e essa parceria que estamos construindo será muito importante para todos aqueles afetados pela paralisação dos trabalhos da Fafen. A Celse está disposta a contribuir de todas as maneiras para que a fábrica volte a operar, gerando emprego e desenvolvimento para Sergipe”, afirma o presidente da Celse, Pedro Litsek.

Participaram da reunião, representando a Proquigel, o diretor de Relações Institucionais, Roberto Fiamenghi e os consultores Adary Oliveira, José Alberto Franco e José Eduardo Barretto. Os representantes ficaram satisfeitos com os encaminhamentos da reunião. O objetivo da empresa é buscar alternativas para adquirir um gás a preço competitivo para a retomada de operação da Fafen em Sergipe no início de 2021. Esses estudos e a parceria com a Celse e Sergas serão fundamentais para isso.