A Petrobras comunicou, na última quinta-feira (19), ter encontrado indícios de petróleo no poço 3-BRSA-1371-SES. A descoberta dá início as confirmações de boas perspectivas para as reservas existentes na Bacia Sergipe-Alagoas.

Este é o sétimo poço perfurado no SEAL-M-424 desde 2012 pela Petrobras e o terceiro feito pela petroleira na bacia este ano. O primeiro (3-BRSA-1367-SES) foi perfurado em março, resultando na descoberta de óleo e gás, e o segundo (3-BRSA-1368-SES), em junho.

O Plano de Negócios 2019-2023 da Petrobras prevê a instalação de uma plataforma na bacia em 2023, além da construção de uma unidade de tratamento de gás para viabilizar o escoamento e processamento de gás dos campos de águas profundas descobertos na região.

Mobilização do consórcio ExxonMobil, Enauta e Murphy Oil
Além disso, na última quarta-feira (18), a PGS Offshore recebeu licença ambiental do Ibama para estudos de dados sísmicos 3D em águas profundas da Bacia de Sergipe, mais especificamente na área onde estão os blocos exploratórios do consórcio ExxonMobil, Enauta e Murphy Oil. A licença ambiental é válida até setembro do próximo ano e a previsão é que os estudos durem 90 dias.

A área licenciada abrange 8.536 quilômetros quadrados de área e está localizado a 37 quilômetros de distância mínima da costa de Sergipe, em águas com profundidade superior a 1.200 metros. Vale lembrar que desde fevereiro, a ExxonMobil licencia a perfuração de 11 poços exploratórios em áreas adquiridas na região.